Som na Toca

Linguagem

Campanhas

Júlia Vargas - Disco D'Água

Compartilhar:

Júlia Vargas - Disco D'Água

COLABORE

Ei pessoal, estou realmente muito empolgada em ter vocês junto comigo nesta nova etapa da minha vida! Criamos uma forma de participarem da feitura deste novo trabalho, a ideia é um financiamento coletivo para um disco, um clipe e um clipão! Quem acompanha meu trabalho sabe que eu ainda nao tenho um clipe e estou muito ansiosa e animada com este momento!

Ter o apoio e a participação de vocês faz muito sentido sendo eu uma artista indepentende que precisa dessa força para viabilizar e realizar mais este projeto. São muitos profissonais maravilhosos envolvidos e desta vez não temos o apoio de uma gravadora ou algum tipo de patrocínio, então vamos juntos nesta empreitada para que de fato o trabalho aconteça! Amo a ideia de construir algo com todos vocês, torna tudo mais bonito e verdadeiro!

Vou falar um pouquinho sobre o disco: Os músicos que compõem o álbum são os mesmos parceiros do meu último disco lançado. São eles: João Bittencourt - Teclado e Acordeon, Gabriel Barbosa - Bateria e Marcos Luz - Baixo, além de Guilherme Marques nos sintetizadores.

"D'Água" é meu quarto disco (terceiro disco de estúdio). Lancei meu primeiro disco "Julia Vargas" em 2012, em 2015 lançamos o "CD e DVD Júlia Vargas & Os Barnabés", o queridíssimo "Pop Banana" em 2017 e agora nos preparamos para a chegada de "D'Água", primeiro disco com duas composições minhas!

"Um disco que mergulha profundo nos sentimentos. Vejo a composição como um diário, me vejo completamente transparente. Quando alguém conhece uma canção minha, pode me conhecer por dentro e conhecer um pouco mais das histórias que vivi." Julia Vargas 


DISCO D'ÁGUA

Amar em tempos de cólera é já uma revolução e o disco "D'água", é a marca doce em nosso paladar em resistência a uma Era de conjunturas políticas por vezes tão amargas. Há no novo disco de Julia Vargas o prenúncio que vem trazendo alento de um cacho de frutos ainda mais variados no porvir, onde a artista experimenta, e faz experimentar quem a acompanha desde o começo, canções autorais e parcerias inéditas, com a mesma desenvoltura que construiu a solidez de sua carreira como intérprete do cancioneiro popular.

Assim como na lágrima há o prazer e a dor, "D'água", então, se coloca emocional e emocionado, em um jogo de opostos de onde surgem rios e signos zodiacais que se deslocam nos extremos do mais líquido do existir contemporâneo. Entornam-se aos borbotões as emoções humanas nas músicas deste álbum, onde a artista bebe de um copo que nunca serviu para conter, mas para transbordar, e se molha. E é no fluido e no fluxo contido, sem se conter, em "D'água" que ensejam o mais feminino das canções autorais de Júlia, algo que se entranha e se espraia nas canções das outras compositoras convidadas para compor as faixas em suas releituras. Na Ilustríssima companhia de Zélia Duncan e Roberta Sá, há o amor, líquido, ao amor.

Júlia Vargas

Júlia Vargas nasceu em Cabo Frio/ RJ, rodeada por músicos na família. Seus estudos e vivências musicais portanto, se deram entre seus pais, avós, tios, irmãos e primos de uma forma muito natural.

Iniciou sua vida artística, ainda criança, na dança. Trabalhou dançando pelo Teatro Municipal do Rio de janeiro e pelo Centro de Movimento Deborah Colker. Aos 18 anos ingressou na companhia "Mulungo" de Oswaldo Montenegro, onde atuou por um ano. Nesta mesma época, começou a se aventurar pelos palcos soltando a voz desde então nunca mais parou de cantar.

Cantora e percussionista, Júlia já é considerada das grandes cantoras do Brasil e vem emocionando nomes como Milton Nascimento, com quem fez turnê e abriu shows, Zélia Duncan que a convidou para cantar no lançamento de seu disco "Tudo é um" no Circo Voador, Geraldo Azevedo que a chamou como participação em um de seus shows também no Circo Voador, Ivan Lins de quem ganhou uma música inédita que foi gravada em seu primeiro disco, Alceu Valença que a convidou para abrir alguns de seus shows na Fundição Progresso, Ney Matogrosso e Pedro Luís que gravaram em seu disco "Pop Banana", apresentou um show ao lado de João Donato, Wagner Tiso, Moraes Moreira entre outros.

Em 2014 foi convidada a integrar o projeto "Mar Azul", em homenagem ao Clube da Esquina e saiu em turnê com o show "Travessia", de Milton Nascimento, pelo interior de Minas Gerais, e com show "Linha de Frente", acompanhando Milton Nascimento e Criolo.

Em 2015 participou do tributo à Cássia Eller, no Rock in Rio e chamou a atenção pela parceria com Chico Chico, cantor e compositor carioca filho da cantora com quem fez diversos shows pelo Brasil. Dessa parceria nascer o selo Porangareté, criado ao lado de Chico Chico, Rodrigo Garcia e Maria Eugênia. Também no final deste mesmo ano, lançou o "CD e DVD Júlia Vargas & Os Barnabés ao vivo em Niterói" produzido por Rodrigo Garcia no Teatro Municipal de Niterói.

Em 2016 Júlia se dedicou para gravação do seu segundo álbum de estúdio, intitulado "Pop Banana", fruto de uma parceria entre a cantora, o selo Porangareté e a gravadora Biscoito Fino. Júlia assina a produção e direção musical do álbum lançado em 2017 em formato físico (CD) e digital.

E agora, Júlia se prepara para o mais novo lançamento, o disco "D'Água" onde também assina a direção e produção musical ao lado de Guilherme Marques e o Estúdio Frigideira. 


-------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nosso orçamento se manterá aberto para que acompanhem de perto tudinho!

------------------------------------------------------------------------------------------------------