Som na Toca

Linguagem

Campanhas

Livro - Verbo Desguardar

Compartilhar:

Livro - Verbo Desguardar

O Projeto 

Há algum tempo atrás gravei na pele aquilo que me queima a garganta, toda palavra de ação pra então sair do peito. E hoje essa pele se apresenta em livro. No desejo de desguardar meus escritos, meus poemas, e como parte desse processo que iniciei ao gravar no peito a palavra verbo nasce esse que é um livro, mas é também o meu corpo. 

Ao tomar coragem de romper a embalagem, começamos juntos o processo de desguardar. De abrir o peito, de romper, de mergulhar numa tentativa de compreender a semântica e a sintaxe juntas, nesse movimento, de comunicar no mundo a poesia das coisas através dos nossos corpos. Dos corpos que carregam e contam histórias. Dos corpos que são verbo Ser. 

verbo.desguardar reúne uma seleção da minha produção poética dos últimos 10 anos, tudo àquilo que me atravessou, que me compôs e agora transborda.  


O Livro “Obgesto” 

Quando fiz o convite à poeta Amora Pera para escrever o texto de orelha, ela me elucidou que esse é um livro “obgesto”.  Trago na criação desse projeto toda paixão que tenho pela materialidade do livro, desde o papel que compõe seu toque, a maneira como pode ser folheado, reorganizado,  as cores e transparências que sobrepõe os poemas nesse corpo que o carrega, o chamado visual que cada fotografia invoca, na costura artesanal de cada exemplar, feita uma a uma, como enlaçando cada página desse corpo, um híbrido  de objeto e gesto. O meu gesto no mundo, aqui está o que sinto, vejo, penso, sou.  

Essa edição tão especial foi diagramada e coeditada  pela artista visual Maria Beatriz Machado, que tem em seu trabalho a delicadeza firme que me tange. É realmente um prazer contar com o olhar dessa artista com a qual tenho a sorte de viver o mesmo tempo. 

Na busca por comunicar esse corpo poético, as múltiplas possibilidades que minha linguagem produz, e o próprio texto que me pedia pra ser posto em movimento, a pele que conta essa história, o corpo que carrega esse léxico, criamos, eu e a fotógrafa Amandha Levandowski, uma série de fotografias que integram o livro. ​Esse livro se desguarda pelas mãos das mulheres que me ajudaram a construí-lo. Trago aqui a minha trajetória poética, meu caminho de compreender a existência através de um olhar gramatical, da intenção de reforçar a soberania, de cunho semântico, desse verbo irregular que define a mais essencial necessidade humana que se realiza na fala, no contar-se. O verbo SER. 



Aryana Almeida 

É Poeta. É mulher, e mãe, e linguista, e leitora e livreira. Mas sobretudo, uma conjugadora amadora. Amadora do verbo amar. Em sua escrita poética pesquisa o nascimento da linguagem gramatical, seus funcionamentos sintáticos e semânticos e a transformação desse pensamento em fala, atravessando o corpo e fazendo dele um instrumento poético.
É editora criadora do selo independente Conjugação sf. editorial onde edita zines artesanais que nascem das próprias mãos. Desenvolve o projeto #leiaemvozalta no qual através de um manifesto incentiva as pessoas a retomarem a oralidade da leitura.

Especializada em literatura infantil é mediadora de leitura para a primeira infância. Bacharel em Letras pela UERJ, geminianamente une seus conhecimentos e potências na construção de um trabalho autoral.


Por fim, 

gostaria de falar sobre o financiamento coletivo como possibilidade de plataforma de publicação. O mercado editorial, no qual trabalho há um tempo, já não comporta a efervescência e urgência das publicações; devido à escala com que trabalham as grandes e médias editoras, fica difícil investir em novos autores e ideias, produzindo um volume tão grande de livros que acaba por encalhar em estoques e prateleiras. Chamadas à poetas e escritores ainda surgem, mas junto delas condições pouco justas para o artista, como receber apenas parte da impressão como remuneração de sua obra e não ter nenhum poder de decisão sobre a edição, capa e detalhes de seu próprio trabalho.  ​

Sendo assim, a publicação por financiamento coletivo torna possível  a produção sob demanda, sem excessos, e que é diretamente incentivada por quem tem o desejo de que aquela obra exista! 



  • R$420
    Levantados de R$16.500
  • 7
    Apoios
  • 46
    dias remanescente
2 %
Esta campanha vai reter todo o dinheiro recebido.
Apoiar este projeto